Salir-Alte (16,2 km)

Ficha Técnica

Ponto de partida: No largo junto à Igreja Matriz de Salir

Coordenadas GPS do ponto de partida: 37º14´28.22´´N 8º02´34.84´´O

Extensão: 16,2 km

Grau de dificuldade (Sentido recomendado): II – Fácil

Duração (aproximada): 5 h

Altitude Mínima: 195 m

Altitude Máxima: 334 m

Subida acumulada: 301 m

Descida acumulada: 340 m

Disponibilidade de água: Sim

Mercearias locais: Sim

Época Aconselhada: Setembro a maio, embora a primavera seja a época mais aconselhada, pela sua beleza florística e pelas condições climatéricas.

Cartografia: Traçado do percurso nas Cartas Militares de Portugal nº 587, 588, 596 e 597 proveniente do Instituto Geográfico do exército, com escala de 1:25000.

Atenção : Em tempo de chuvas cerca de 5km do percurso, entre Almarginho e Benafim, apresenta lama, aconselha-se especial cuidado para quem está a fazer o percurso na modalidade BTT.

 

Descrição do Itinerário Route Description

O 7º sector da Via Algarviana inicia-se em Salir, uma pequena aldeia situada no eixo central da EN124, onde as ruínas do castelo representam o elemento histórico mais relevante da povoação. O percurso desenvolve-se muitas vezes ladeado por antigos muros de pedra, que ainda limitam hortas e propriedades rurais, e atravessa alguns aglomerados habitacionais, tais como Almarginho, Cerro de Baixo e Cerro de Cima. Neste itinerário, a presença de várias noras e outros engenhos hidráulicos é um dos pontos alto do percurso, que assinalam a intensa actividade agrícola que aí se praticava no passado.

A Paisagem Protegida Local Rocha da Pena encontra-se à vista do caminhante ao longo de grande parte da primeira metade deste sector, esta é um elemento forte na paisagem, com 479 metros de altitude, aí poderá encontrar cerca de 535 espécies de flora e muitas outras espécies de fauna. Por aqui ainda perdura a famosa lenda do Gil da Pena! Desafiamo-lo a tentar conseguir que um dos locais lhe conte esta famosa lenda. Aceita o desafio?

O itinerário atravessa Benafim, uma povoação que mantém a traça tradicional nas suas casas e ruas estreitas. Aproveite para fazer uma pausa num dos cafés locais.

Daí o percurso segue para Norte, passando por vários pomares de sequeiro, característicos do Barrocal Algarvio, e chega à ribeira do Freixo, onde ruma a oeste. Aqui, a actividade agrícola e o pastoreio ainda impõem as suas marcas na paisagem, outrora com peso relevante na economia desta região.

O sector termina acompanhando a Ribeira de Alte, onde o cantar dos muitos passeriformes aí existentes serão uma autêntica sinfonia para os seus ouvidos! Chegará assim às Fontes Grande e Pequena, uma zona muito agradável para descansar e é quase obrigatório fotografar este local de beleza ímpar. Mais adiante situa-se o centro de Alte, uma das aldeias mais típicas e belas da região que merece que se perca e se embrenhe pelas ruas e ruelas desta aldeia, e que conheça os pequenos comércios locais. Tudo em Alte cheiro a típico e genuíno!

Mapa Setor 7

Newsletters


Newsletter Plugin by Bulk Email Software

Apoie a Via Algarviana

Contribua para a manutenção da Via Algarviana, descarregue o Guia da Via Algarviana e deixe um DONATIVO.
IBAN:
PT50 0036 0418 99105000149 85
Associação Almargem

Co-financiadores

Desenvolvido por Creative Rill - Webdesign Solutions