Alcoutim – Balurcos (24,2 Km)

Ficha Técnica

Ponto de partida: Cais de Alcoutim

Coordenadas do ponto de partida: 37º28´17.65´´N 7º28´16.53´´O

Extensão: 24,2 km

Grau de dificuldade (Sentido recomendado): IV – Difícil

Duração (aproximada): 7 h

Altitude Mínima: 11 m

Altitude Máxima: 206 m (Balurcos de Baixo)

Subida acumulada: 610 m

Descida acumulada: 420 m

Disponibilidade de água: Sim

Mercearias locais: Sim
Época Aconselhada: setembro a maio, embora a primavera seja a época mais aconselhada, pela sua beleza florística e pelas condições climatéricas.

Cartografia: Traçado do percurso na Carta Militar de Portugal nº 575 proveniente do Instituto Geográfico do exército, com escala de 1:25000. Trail map in the Portuguese Military Charters Nos.575 from the Geographic Institute of the Army, with a scale of 1:25000.

Descrição do Itinerário
A Via Algarviana inicia-se junto ao cais de Alcoutim, atravessa a vila e dirige-se para Norte. Intercepta uma pequena rota pedestre durante cerca de 300 metros, divergem para depois se voltarem a encontrar por mais cerca de 300m e divergirem para não mais se cruzar. Este sector desenvolve-se, inicialmente, ao longo do Rio Guadiana, por um caminho plano, a baixa altitude, durante o qual se pode apreciar a beleza do vale por onda passa este grande curso de água. A paisagem é dominada especialmente por espaços rurais de sequeiro (amendoeiras, figueiras, oliveiras), muitos deles ainda activos.
Utilizando sempre o caminho principal, o percurso em breve se afasta do rio e se orienta para Oeste até alcançar Cortes Pereiras. A entrada no monte faz-se por um caminho pouco utilizado, ladeado por antigos muros de pedra. Deste local, o caminhante segue para Norte, atravessando o monte, e posteriormente para Oeste/Noroeste, cruzando a estrada nacional (EN) 1054.
Os Menires do Lavajo irão em breve cruzar-se com o percurso, que daí segue para Sudoeste, até Afonso Vicente. Neste pequeno monte, encontramos antigas habitações, algumas ainda em xisto, pequenas hortas tradicionais ladeadas por valados, muito típicos na região. Seguindo para Sul, o caminho cruza a estrada municipal (EM) 507, mantém-se no trilho principal e entra numa área de extensos povoamentos florestais, onde o relevo é mais acentuado.

Após várias subidas e descidas em direcção a Sul, o percurso chega ao Barranco do Alcoutenejo, que a jusante se irá unir ao Barranco dos Ladrões e formar a Ribeira dos Cadavais. Daí, quase sempre em direcção a Sudeste, o caminho segue até Corte Tabelião, atravessa a povoação e desce depois até ao Barranco dos Ladrões. Pelo itinerário principal, sentido Sudeste, em breve surge no horizonte Corte Seda. Chegando à povoação, segue-se pelos arruamentos até à EN 122-1 de acesso a Alcoutim.
Após cruzar a estrada, o percurso continua para Sul, atravessando pequenos barrancos e linhas de água, até chegar ao Torneiro onde se cruza com mais uma pequena rota pedestre, devidamente sinalizada. Daqui, ambos os percursos coincidem até chegar a Balurcos, terminando assim o primeiro setor da Via Algarviana.

 

Mapa Setor 1

 

Newsletters


Newsletter Plugin by Bulk Email Software

Apoie a Via Algarviana

Contribua para a manutenção da Via Algarviana, descarregue o Guia da Via Algarviana e deixe um DONATIVO.
IBAN:
PT50 0036 0418 99105000149 85
Associação Almargem

Co-financiadores

Desenvolvido por Creative Rill - Webdesign Solutions